Dija, do Penhasco e Loyal Gun em entrevista ao site Nada Pop

Howlin' Records

Template

Dija, do Penhasco e Loyal Gun em entrevista ao site Nada Pop

Dija Dijones, guitarrista das bandas da Howlin’ Penhasco e Loyal Gun, fala sobre sua carreira e projetos ao site “Nada Pop” em entrevista feita por Mauricio Martins.

“Sabe aquelas conversas que são tão honestas que você até saí com um outro olhar sobre as coisas? Aquelas conversas que acrescentam e que demonstram um pouco da importância que o seu trabalho possui? Sem falsa modéstia, mas são conversas como essa, realizada com o Dija (ou Dija Dijones, se preferir), que incentivam o nosso trabalho e estimulam ainda mais o nosso interesse em descobrir bandas e personagens dessa tal “cena” – entre aspas mesmo.

Com 32 anos, bacheral em direito e morador de Itapecerica da Serra, uma cidade distante 33 km de São Paulo, Dija (seu apelido), já tocou em diversas bandas. Entre elas podemos citar D-7, Decatron, Código Verona, Atol, Limassol, Wooley, Ocean Sea, e a lista continua… Algumas fizeram shows e gravaram alguma coisa, outras não. Fez breves participações em diversas outras e até tentou ser músico na noite.

Atualmente divide seu tempo dedicando-se a bandas como Chabad, Loyal Gun, Penhasco, O Apátrida, Schwarzenbache, eventualmente, um tributo ao Bad Religion chamado de Stranger Than Fiction. O culpado de tudo isso, segundo o Dija, foi o Nevermind. Quando tinha 13 para 14 anos, a primeira TV a cores chegou na sua casa. Nela canais UHF.

Quando colocou em um tal canal 32, imediatamente começou a passar um clipe de uma galera enlouquecida em uma quadra de basquete. Era “Smells Like Teen Spirit” sendo exibido na MTV. No dia seguinte, comentou com um amigo da escola que por sua vez disse que o irmão alugou um CD que tinha essa música em uma videolocadora perto de casa. Era um tempo em que videolocadora locava mais CDs do que fitas VHS. Ele alugou o CD novamente, gravou em um K-7 e durante os seis meses seguintes só ouvia esta fita religiosamente todos os dias. Gastava quase toda a mesada em pilhas para “walkman”. Depois deste período, pediu um violão aos pais e decidiu que assim que aprendesse a tocar teria uma banda.

Confira nossa entrevista com o Dija Dijones e saiba mais sobre a música e sua vida. Acredite, você não irá se arrepender.”

Confira a entrevista na integra