#influencia: Chiclo Leibholz (baterista do Boom )

Howlin' Records

Template

#influencia: Chiclo Leibholz (baterista do Boom )

Chiclo Leibholz é baterista do Boom (https://www.facebook.com/boomprojectb), que é uma banda instrumental de São Paulo que mescla elementos da Soul e Surf music. À seguir, ele fala sobre quem foram influentes na sua formação musical.

Playlist: https://soundsgood.co/playlist/boom
Som do Boom: http://boomprojectband.bandcamp.com/releases

Sem mais delongas, Chico no papo de ‪#‎influencia‬:

John Bohham Led Zeppelin Official:
Para mim ele é o cara que criou as melhores e mais soltas linhas de batera dentro do rock n roll. Além de descer a mão, ter uma baita técnica, extrair sons muito específicos também conseguia deixar tudo groovado.

Brett Reed (Rancid):
Ele é um cara que aprimorou sua técnica ao longo dos anos e das mudanças do Rancid. De punk rock foi para o ska, reggae, dub, e particularmente abriu minha cabeça com todas essas possibilidades de criação dentro de uma banda.

Al Jackson JrBooker T And The Mgs):
Acredito que minha maior influência quando penso em música instrumental. Quando ouvi Booker T & The MG’s pela primeira vez pensei : ” caralho, é esse tipo de som que eu quero fazer”.

Ringo Starr (The Beatles):
Ringão é o cara. Tá, ele está longe de ser um puta baterista, mas mostrou que é possível tocar somente o que a música pede.

John TheodoreThe Mars VoltaOmar Rodríguez-LópezOne Day As A LionQueens of the Stone Age):
Quando ouvi o disco ”De-Loused in Comatorium” do The Mars Volta minha vida realmente mudou. Foi um choque de complexidade e experimentalismo que eu nunca havia sentido antes. Também desce a mão e é extremamente versátil.

Kashikura Takashi (toe):
Esse cara tem o dom de ser 110% preciso no metrônomo sem usá-lo ao vivo. Além disso, cria linhas complexas usando todas as peças da bateria praticamente o tempo todo.

Brian Teasley (Man or Astro-man?):
É um dos caras que mais me influenciou dentro da Surf Music. Tanto ele quanto a banda inovaram no Surf ”mais moderno”. Sai bastante daquele lance padrão 60’s/70’s.

Daniel Siqueira (GARAGE FUZZ.):
Eu cresci ouvindo hard core melódico, e além de achar o Garage Fuzz a banda mais legal do gênero aqui no Brasil o Daniel é um monstro. Rápido, técnico e parece que ele nem faz esforço. Quem já viu um show deles vai entender exatamente o que estou falando.

Alan Evans (Soulive):
O Alan Evans foi um batera que me mostrou como conduzir diferentes dinâmicas entre soul/jazz e rock.

Mitch Mitchell (The Jimi Hendrix Experience):
As baterias que esse cara criou para as músicas do Hendrix são sensacionais e extremamente técnicas. Ele tem um groove dos infernos